Loader

Sai da frente que atrás vem gente

Sai da frente que atrás vem gente

Como é de conhecimento de todos Joinville está respirando o clima do Festival de Dança (começou ontem), com  bares e restaurantes com excelente movimento e a rede hoteleira rindo a toa com a ocupação.Nesta quarta feira eu e minha namorada fomos convidados por um casal de amigos para saborear um fondue em um tradicional hotel em Joinville. Bastante charmoso, estilo germânico, situado na esquina da via gastronômica (se é que podemos chamar assim) da cidade, seu público está longe de ser o dos “apreciadores da hotelaria econômica”.O primeiro desafio foi descobrir se o local possuía ou não serviço de manobrista. O estacionamento estava abarrotado e para tirar essa dúvida me dirigi até a recepção, todo esperançoso que a resposta fosse positiva, porém o recepcionista um pouco atabalhoado respondeu diversas coisas menos o que eu havia perguntado. Bem… a essa altura eu já sabia que teria que buscar uma outra alternativa para estacionar o meu estimado possante.Passado este episódio e mais algumas centenas de passos, finalmente pudemos seguir para o terraço do hotel que é onde ficava o restaurante. Aliás achei interessantíssima a técnica de interatividade com os clientes do tipo “Desafio surpresa, descubra onde é o restaurante”. Ninguém, em nenhum momento, veio nos abordar para perguntar se éramos hóspedes, invasores ou só queríamos ver o carpete da entrada. Onde estava a cordialidade que normalmente os hotéis oferecem?Chegando no restaurante (onde teoricamente havia reserva) entramos no belo salão, e ficamos um bom tempo olhando um para a cara do outro, novamente esperando alguém do restaurante perguntar alguma coisa. Toda equipe continuava seus afazeres como se nada tivesse acontecido. Gente!!! Entrou cliente!!! O que se faz nessa hora??Tudo bem! Seguimos ao balcão onde não estou muito certo se encontraram a reserva que fizemos ou “encaixaram” a gente em uma das mesas que estava disponível.Como a companhia era agradável, os momentos seguintes foram de bastante diversão. As duas primeiras garrafas de vinho estavam bem saborosas, porém… (tava demorando).Enquanto ainda degustávamos a parte salgada do fondue, o garçom (muito cordial por sinal) dirige-se até a mesa e comenta que a gente poderia ficar mais tempo sem problemas, mas teria que efetuar o pagamento já naquele momento pois eles estavam fechando o caixa (eu hein!).Não deveria ser assim… Ou será que eu que sou antigo e não me adaptei com técnicas pós-modernas de atendimento?Enfim. Tal abordagem nos obrigou a tomar uma radical decisão. A bebida na mesa estava acabando e como não poderíamos pedir mais nada depois, batemos o martelo. Traz mais uma garrafa de vinho, a terceira (Caramba! “Ceis” bebem hein!) e 2 águas.A água até que tava boa… Eu, que assumidamente não tenho o paladar dos mais refinados, dei o primeiro gole. O sabor era algo parecido com uma Fanta Uva quente e com pouco gás (Diliça!).Pedimos para trocar, mas a nova garrafa veio no máximo “menos pior”. Longe de ser o ideal.Todo esse relato, foi pra mostrar que a rede hoteleira em Joinville, apesar de inserida em um ambiente de acirradíssima concorrência, ainda apresenta falhas em momentos de pico.Quem não estiver preparado, pode perder espaço.Gente competente como os proprietários da bandeira HOTEL 10, cliente da Marketeria há um bom tempo, que inaugurou neste dia 10 de Julho sua quarta unidade, agora em Joinville.Como além de prestador de serviço sou cliente assíduo da rede, acho que acabei ficando mal acostumado com o modelo deles. Tarifas econômicas, excelentes instalações e atendimento cordial.Pra atestar meu comentário sobre o HOTEL 10, o jornal ANotícia de hoje, em uma matéria sobre a rede hoteleira de Joinville, aborda com amplo destaque a chegada da nova bandeira a cidade.São os clientes da Marketeria em destaque, nos deixando extremamente orgulhosos. O sucesso de nossos clientes remete diretamente que nosso trabalho está sendo bem feito.

Jorge Urresta Neto
[email protected]