Loader

MarkNewYorkTrip – O dia em que tudo começou

MarkNewYorkTrip – O dia em que tudo começou

O que a Paula e a Júlia estão fazendo em New York? É, talvez você talvez já tenha se perguntado isso recentemente. Bom, temos o maior prazer de contar a história dessa viagem quantas vezes for necessário, pois estamos aqui por causa da Marketeria.

Recebemos o presente de passar esse tempo aqui em NY, por conta do programa de reconhecimento da Marketeria, que de tempos em tempos, escolhe pessoas para fazer uma viagem especial a fim de abrirem suas mentes e expandir horizontes. Ok, primeira parte respondida, agora vamos para quando tudo começou.

Saímos de Curitiba dia 29/10 e cada trajeto já foi uma aventura. Ficamos felizes por tudo ter dado certo e por não ter perdido nenhum voo! Já em NY, depois do momento tenso na imigração, diga-se de passagem, pegamos o trem e metrô para chegar ao nosso hotelzinho querido que fica em Long Island. Após ver nosso quarto, deixar as coisas e amar tudo, partimos para nossa primeira aventura com a missão de passear na Times Square e jantar no Restaurante Italiano Carmine’s. Andamos bastante e sentimos como aquele lugar é especial! Não sabemos expressar direito a sensação, mas é algo parecido como se sentir no centro do mundo, sabe?

Jantar no Carmine’s na primeira noite não poderia ter sido uma escolha melhor (thanks, chefinho, pela dica). Comida de verdade, em quantidades absurdas, deliciosa e atendimento impecável. Nós já mencionamos quantidades absurdas? Sim, é muita comida! Bom, após o jantar, voltamos para o hotel de metrô e fizemos uma amizade no trajeto. Scott, um simpático nova-iorquino nos ajudou a pegar o caminho certo e nós o ajudamos contando um pouquinho sobre como é realmente morar no Brasil. Não, aqui não tem carnaval o ano todo. Sim, nós precisamos fazer um visto americano e ainda corremos o risco de não entrar pela imigração. Sim, o nosso estado é bem alemão e tem até uma mini Oktoberfest. Ele ficou surpreso e prometeu dar um Google depois! Mas jamais saberemos se Scott foi pessoalmente influenciado por nós. Vamos tentar fazer novas amizades no metrô para treinar o inglês e saber o que os americanos pensam do Brasil (não, a gente não tem macacos no rua em todo lugar).

Descansamos bastante no hotel e acordamos ansiosas para o café da manhã. Ovo, bacon, frutinhas, iogurte… tudo para começar o dia bem alimentadas! Inclusive: adeus dieta em NY. Não tem como, né, gente, temos que provar todas as delícias daqui. Com certeza é uma parte bem importante para sentir a rotina. Após o café (em que roubamos algumas mini caixinhas de Froot Loops para o nosso quarto), voltamos para a região da Times Square e lá visitamos algumas lojas (Disney, Mms, Hershey’s…), seguindo para o monumento LOVE. Queremos voltar sempre na Times (ó a intimidade). É um lugar mágico, e parece que ali tudo acontece ou pode acontecer. Uma coisa que a gente só vê nos filmes e hoje estamos aqui, fazendo parte disso. Se às vezes nos sentimos o Rei Leão quase sendo atropelado por antílopes no meio da multidão de pessoas? Sim, a gente se sente. Mas no fim o incrível é exatamente isso: estar no meio dessa multidão. Ter a chance de saber como é estar rodeadas de publicidade por todos os cantos, e de pessoas diferentes. Sem contar na músicas sobre New York que sem querer acabam fazendo a trilha sonora mental, de repente você está lá caminhando e mentalmente cantando “In Neeeeew York, concrete jungle where dreams are made of…” Enfim, voltando ao nosso dia!

fotos

Após a fotinho no LOVE, fomos caçar nosso almoço. Bom, a gente veio pra passear, né (entendedores entenderão), mas pra comer muito também! Achamos um Five Guys, pedimos nosso almoço e lá fomos nós para o grandioso Central Park. Que coisa mais intrigante: uma selva de pedras rodeada de prédios, tem um parque gigante no meio de Manhattan. E, no meio do som de milhares de buzinas e ambulâncias, tudo ali faz sentido e se encaixa. Ainda é New York, mas é um cantinho de paz. Pra poder comer seu almoço tranquilo, pra pegar um sol,  pra descansar ouvindo sua música preferida, fazer um cooper, andar de bike, passear com os catioríneos. É um lugar incrível. Sorte de quem tem a chance de desfrutar desse cantinho da cidade. Passamos pelo Strawberry Fields dentro do parque, ouvimos um sonzinho gostoso dos Beatles e prosseguimos nosso roteiro do dia rumo a busca da nossa sobremesa tão sonhado e aguardada: os cookies da Levain Bakery.

Na rua que nos levou até esse pedacinho do céu, fizemos mil planos imaginários de trazer uma filial da Marketeria pra cá (talvez não seja tão impossível assim, hein?), de morar aqui e poder aproveitar o Central Park todos os dias, enfim… A gente viaja um pouquinho (só uns cinquenta centavos). Chegando ao destino final, a glória: os cookies estavam lá, nos esperando. E como valeu a pena essa espera! Apesar de termos experimentado poucos cookies daqui, ousamos afirmar que esse é o melhor. De NY e do mundo! Só de contar para vocês já caiu uma lágrima de saudade aqui. Selo de aprovação da Julinha e Paulinha.

De barriguinha cheia, chegou a hora do Museu de História Natural. Se você assiste Friends, é aquele em que o Ross trabalhava! Ele já é grandioso por fora, e por dentro esconde surpresas incríveis. Fomos direto visitar os fósseis do Tiranossauro Rex. A emoção e o baque foram tão fortes que até choramos. Que coisa incrível! É tão grandioso, tão imponente. Para aproveitar esse momento, ligamos pros amigos da Mark no Skype e compartilhamos um pouco da emoção do momento (a Paula ligou pro Isaque também porque ele ama dinossauros e ficou emocionado junto com a gente). O museu é tão grande que não conseguimos aproveitar tudo que ele tem a oferecer pois temos um cronograma apertado, mas adoramos o planetário e o vídeo que é passado sobre o universo. A gente se sente tão pequeno e insignificante nesse mundo. Um grãozinho de areia (choramos de novo nessa hora? Vocês jamais saberão). Passamos pela incrível baleia e infelizmente tivemos que partir para o Empire State.

Um símbolo de NY, o prédio já foi um dos mais altos do mundo por um tempo, e hoje em dia continua sendo um dos arranha-céus mais famosos. Esse foi um pouco decepcionante para nós, confessamos. Burocracia pra entrar, burocracia pra subir, burocracia pra tudo. E turistas que não leram o guia de “como não ser um turista folgado”. Esse guia também se encontra disponível na versão “como ser uma pessoa normal e não um inconveniente”. Mas enfim: a visão de NY de cima é linda, emocionante. O que poderia ser uma experiência tão legal, acabou sendo apenas “ok” para nós. Mas é algo icônico, vir a NY e não conhecer é tipo Buchecha sem Claudinho.

Seguindo para a Times Square novamente (já dissemos que amamos esse lugar? Pois vocês ainda vão ouvir falar muito dele), vimos muitas pessoas fantasiadas para o Halloween, que foi hoje, dia 31/10. Aqui eles mandam muito nas fantasias, inclusive ficamos com medo de algumas.

De volta ao hotel, trouxemos uma janta dos sonhos de qualquer americano: pizza + refrigerante enquanto assistíamos TV.

Foi apenas o primeiro dia e já foi incrível. Ainda nos perguntamos se é verdade e ficamos abismadas de como já fizemos coisas diferentes e ainda temos muitas outras para fazer. Por isso, não deixem de nos acompanhar por aqui, viu? Tem markblog a semana todinha.

Xoxo, Gossip Girl.

Okay, é só a Paula e a Júlia mesmo.

Maria e Nina
[email protected]