Loader

Diário de Bordo MarkEurotrip2 – Domingo de chuva em Paris

Diário de Bordo MarkEurotrip2 – Domingo de chuva em Paris

O que fazer num domingo em Paris com frio e chuva?

Estar num museu quentinho talvez poderia ser a melhor opção, mas decidimos por algo um pouco mais “Parisiense”: a feira tradicional da Marché de La Bastille.

A região da Bastille reduto de estudantes, artistas e várias etnias é conhecida historicamente pelos conflitos radicais revolucionários, onde os parisienses sempre se reúnem para comemorar o dia da bastilha em 14 de julho.

A tradicional feira ocorre todas as manhãs de quinta e domingo, e como seria uma oportunidade única decidimos conhecer essa verdadeira atração.

Saindo da estação do metrô já no deparamos com a grandiosa Ópera de Bastille, a maior casa de espetáculos da cidade e o monumento dedicado ao dia da Bastille no centro da região.

Caminhando alguns metros nos deparamos com uma grande movimentação de pessoas e centenas de tendas onde supomos ser a tradicional feira. Chegando lá, nos contagiamos com a energia do local. Uma variedade de produtos como artesanatos, roupas, frutas e verduras frescas, peixes como o atum e salmão são vendidos inteiros e lagostas e outros crustáceos são vendidos vivos. Encontramos também a gastronomia do oriente médio, uma infinidade de queijos e carnes exóticas, mas o grande barato mesmo são os feirantes. Com uma diversidade de idiomas atravessando nossos ouvidos, seja cantando, negociando e oferecendo “seu peixe”, conhecemos enfim o que era uma verdadeira feira!

Depois de mais de 2 horas de tantas delícias, decidimos dar uma pausa nos sanduíches e almoçar uma boa Paeja em uma das tendas, e é claro aprovadíssima.

Já era início de tarde quando após uma caminhada as margens do Sena, avistamos a Ilha de St. Louis e optamos por conhecer a menor ilha do rio. Com suas ruas estreitas, ela é repleta de lojinhas e casas do séc XVII, dando um ar de um pequenino vilarejo. Começou a chover e para não tomarmos um banho, apertamos o passo para nos abrigarmos em uma cafeteria muito charmosa, e porque não um cafezinho e um chocolate quente na calçada com vista para a bela paisagem da cidade?

Vamos nos encaminhando para nossa última semana na capital dos franceses, e já vai ficando um gostinho de quero mais.

Paris je t’aime!

Geovane Speckhahn

Jorge Urresta Neto
[email protected]