Loader

Diário de Bordo MarkEurotrip – Tour Eiffel

Diário de Bordo MarkEurotrip – Tour Eiffel

E aqui vamos nós com mais um relato da viagem!

Atentar para os pertinentes comentários em parênteses by Júlia

 

Depois de apenas 3 horinhas de cama, acordamos animadas para o primeiro dia de passeio em Paris.

Saímos do hotel em direção ao Metro. Como não sabíamos direito onde era, resolvemos seguir as pessoas que pareciam apressadas. Já na entrada do Metro Port des Lilas compramos os tickets para os 5 dias em Paris por €59.

Descemos muuuuuitas escadas e entramos no metro meio cheio. Atrás dos últimos bancos virados para a porta existem uns assentos móveis, mas como estava meio cheio, as pessoas que estavam sentadas se levantaram e guardaram os banquinhos, para que ficasse mais confortável para todos. (Muito educados, eles também sempre cedem o lugar para os mais velhos)

Para pegar a segunda linha de metro para a torre, nos perdemos um pouquinho e acabamos tendo que pegar outra linha de metro. Como disse o sábio Neto “se perder é uma das melhores coisas a se fazer”. Essa nova linha que pegamos, nos levou até a estação de Trocadéro que é um dos lugares mais bonitos para se ver a Torre Eiffel. (A primeira vez que se avista a torre a gente nunca esquece)

Tiramos fotos e fizemos vídeos de todos os lugares e ângulos possíveis, tendo ajuda de muitos turistas simpáticos. Retribuindo o favor, também ajudamos muitos turistas a tirarem Selfies melhores.

A Torre Eiffel é simplesmente maravilhosa. (ela ė simplesmente gigante e linda. Nem da pra acreditar que ela inicialmente não foi feita com a intenção de ficar la para sempre)

Descemos e passeamos por toda a praça ao redor da torre, Champ de Mars.

Como compramos ingressos para subir na Torre às 15h, pudemos aproveitar a manhã para passear por toda a área. A fila para comprar o ingresso da Torre estava enorme e ficamos bem felizes de já termos comprado pela internet.

Andamos por toda a praça até chegar a escola militar. Que infelizmente estava fechada :/

Então fomos visitar o Hótel des Invalides. Lugar enorme e com um jardim gigante, tiramos algumas fotos no pátio do hotel. (Lá que estão os restos mortais de Napoleão. Acabamos não entrando pra conferir, mas passamos muito tempo conferindo todo local)

Saímos para dar uma volta na cidade, entrando nas ruas em busca de comida haha

Trânsito em Paris é uma loucura. Motoristas são malucos. Várias vezes o trânsito fica parado porque todos os carros querem passar pelo mesmo lugar ao mesmo tempo. E eles também não sabem muito bem o significado de luz vermelha. Levamos vários sustos tentando atravessar a rua quando o sinal estava verde para pedestres, porque os motoristas não respeitavam o sinal.

Encontramos um restaurante com menu traduzido para português onde nada fazia muito sentido. Eles usaram o Google Tradutor provavelmente. (Mim turista querer comer)

Andamos mais um pouco e paramos em um restaurante de hambúrguer. Comemos e fomos para a Champ de Mars descansar um pouco até as 15h. (Acho que quando voltar e lembrar dos dias em Paris, essa vai ser uma das cenas que mais vou sentir saudade. Ficar deitada na grama aproveitando o sol de frente pra torre foi inexplicável e nos rendeu rostos vermelhos do sol)

Entramos na torre para pegar o elevador às 3 da tarde e começamos a subir. Já no primeiro andar a vista é incrível. No segundo andar ela não tem explicação, é possível ver a cidade inteira.

Pegamos mais um elevador para o último andar. Já no elevador minhas pernas ficaram moles de tão alto que estávamos. Mas a beleza era tanta que nem senti o medo. (Gente, ela sentiu sim! Hahaha) É emocionante ver toda aquela cidade de cima. As pessoas lá em baixo eram apenas formigunhas para a nossa vista. (Com certeza uma das cenas mais lindas que a gente ja viu na vida)

Depois de um tempo lá em cima, descemos para passear mais um pouco.

Nessa hora as pernas e pés já estavam doendo de tanto que andamos. Passamos por um tipo de camelô, onde compramos umas bugigangas pra família e seguimos em direção a Estátua da Liberdade (a original, não a que os franceses depois fizeram pros americanos).

Entramos em um shopping, ficamos assustadas com os preços, achamos um wi-fi e mandamos todos os vídeos do dia para os Marks!

Podres e cansadas de tanto andar, passamos no mercado, compramos comidinhas e morremos no Hotel. (no momento estou muito feliz pois descobri uma infinidade de doces e chocolates maravilhosos que não existem no Brasil ou são muito caros)

De verdade. Esse texto era pra ter sido escrito ontem, mas dormimos com o celular na mão!

E hoje ė dia de Londres! Logo contamos mais para vocês.

 

Jorge Urresta Neto
[email protected]