Loader

Diário de Bordo MarkEurotrip – Dia do Louvre

Diário de Bordo MarkEurotrip – Dia do Louvre

(Parabéns pra quem fez. Ele é lindo!)

Como estávamos podres da viagem de Londres, acordamos um pouco mais tarde na manhã de quinta-feira.

Passeamos pela cidade em busca do local indicado na Internet pra trocar nossos ingressos prioritários para a entrada do Louvre e entramos no museu às 11 horas. (A Mari não queria contar, mas ela quase caiu de bunda no metro)

É muita coisa linda, muita coisa antiga, muitas escadas, muita riqueza, muita gente querendo tirar uma selfie com a Mona (sendo que 50% dos turistas são chineses).

Andamos pelos 4 andares, apreciando toda a história de diferentes partes do mundo.
Claro que a obra mais requisitada é a Monalisa e depois de um tempo esperando, conseguimos tirar uma selfie com a Mona.

Andamos, andamos e andamos mais um pouco, até que chegamos ao “centro” do Louvre e sentamos em um jardim com luz natural.

Depois de 4 horas dentro do museu, começamos a procurar a saída. Não foi uma tarefa muito fácil e nos perdemos várias vezes.

Finalmente saímos e fomos em direção a Catedral de Notre Dame para encontrar nosso amigo Jean.

Não foi uma boa ideia se encontrar na frente da catedral. Muita gente por todos os lados e não encontramos ninguém.

A entrada na catedral é gratuita, porém queríamos subir nas torres onde ficam os sinos.

Pegamos uma fila gigantesca e esperamos bonitinhas na fila durante 40 minutos. Quando era hora de entrar, dois americanos resolveram furar a fila do nosso lado, causando uma pequena irritação nas pessoas que estavam esperando. Ainda conseguimos ouvir eles conversando orgulhosos do que fizeram (mas não nos misturamos com essa gentalha).

Mas tudo isso foi esquecido depois dos 400 degraus que subimos até o alto da catedral.

“Pessoas com problemas cardíacos e respiratórios não são aconselhadas a subir”
(Mariana e Júlia respectivamente não seguiram o conselho e subiram mesmo assim)

A vista no topo é linda depois dos primeiros 5 minutos. Já que quando se chega lá, a única coisa que você quer ver é uma cadeira (e uma bombinha para asma)

Descida de 400 degraus depois, continuamos na praça aproveitando a vista e ouvindo a música de dois rapazes tocando violão e violino para o pessoal. Um velhinho muito feliz e maluquinho tirava todo mundo pra dançar, inclusive eu e a Júlia (socorro).

Entramos no subway para roubar o wifi e encontrar o Jean. Fofocamos com o amigo designer e saímos em direção ao Arco do Triunfo.

3 horas, 6 lojas e 100 roupas provadas depois, chegamos ao Arco do Triunfo.

Achamos uma loja em liquidação no meio do caminho e ficamos loucas. Simplesmente loucas (pensei que a mari ia ficar de saco cheio de esperar eu provar roupa, mas ela ficou tão louca quanto eu).

Com os pés cansados e cheias de sacolas de roupa, fomos em direção ao hotel com a promessa de que iríamos para um bar.
Dormimos.

Amanhã é só ouro em Versailles!

Jorge Urresta Neto
[email protected]